quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Hubble descobre um Objecto Exclusivo e Binário, que os astrónomos dizem ser um objecto incomum !

Este vídeo de lapso de tempo, montado a partir de um conjunto de fotos do Hubble Space Telescope, revela dois asteroides orbitando uns aos outros com características semelhantes a cometas. O par de asteroides, chamado 2006 VW139 / 288P, foi observado em setembro de 2016, pouco antes do asteroide fazer a aproximação mais próxima do Sol. As fotos revelaram atividade contínua no sistema binário. O movimento aparente da cauda é um efeito de projeção devido ao alinhamento relativo entre o Sol, Terra e 2006 VW139 / 288P mudando entre observações. A orientação da cauda também é afetada por uma mudança no tamanho da partícula. Inicialmente, a cauda estava apontando para a direção onde partículas de poeira comparativamente grandes (cerca de 1 milímetro de tamanho) foram emitidas no final de julho. No entanto, a partir de 20 de setembro,
Créditos: NASA, ESA e J. DePasquale e Z. Levay (STScI)

O Telescópio Espacial Hubble da NASA ajudou uma equipe internacional de astrônomos a achar um objeto incomum no cinturão de asteroides é na verdade dois asteroides que se orbitam entre si com características semelhantes a cometas. Estes incluem um halo brilhante de material, chamado coma, e uma longa cauda de poeira.

Hubble foi usado para imagem do asteróide, designado 300163 (2006 VW139), em setembro de 2016, pouco antes do asteróide ter feito sua aproximação mais próxima ao Sol. As imagens nítidas do Hubble revelaram que na verdade não era um, mas dois asteróides de quase a mesma massa e tamanho, orbitando uns aos outros a uma distância de 60 milhas.

O Asteróide 300163 (2006 VW139) foi descoberto pela Spacewatch em novembro de 2006 e, em novembro de 2011, a possível atividade cometária foi vista pela Pan-STARRS. Ambos Spacewatch e Pan-STARRS são projetos de levantamento de asteróides do Programa Near Earth Object Observations da NASA. Após as observações do Pan-STARRS, também foi dada uma designação de cometas de 288P. Isso torna o objeto o primeiro asteróide binário conhecido que também é classificado como um cometa de cinto principal.

As observações mais recentes do Hubble revelaram atividade contínua no sistema binário. "Detectamos fortes indicações para a sublimação do gelo da água devido ao aumento do aquecimento solar - semelhante à forma como a cauda de um cometa é criada", explicou a líder da equipe, Jessica Agarwal, do Instituto Max Planck para Pesquisa do Sistema Solar, na Alemanha.

Os recursos combinados da separação binária de asteróides, o tamanho do componente quase igual, a órbita de alta excêntrica e a atividade semelhante a uma cometa também o tornam único entre os poucos asteróides binários conhecidos que possuem uma grande separação. Compreender a sua origem e evolução pode proporcionar novos conhecimentos sobre os primeiros dias do sistema solar. Cometas do cinturão principal podem ajudar a responder como a água chegou a uma terra seca dos ossos há bilhões de anos.

A equipe estima que 2006 VW139 / 288P existiu como um sistema binário apenas por cerca de 5.000 anos. O cenário de formação mais provável é uma ruptura devido à rotação rápida. Depois disso, os dois fragmentos podem ter sido movidos para além dos efeitos da sublimação do gelo, o que daria um pequeno impulso a um asteróide em uma direção, à medida que as moléculas de água são ejetadas na outra direção.

O fato de que 2006 VW139 / 288P é tão diferente de todos os outros asteróides binários conhecidos levanta algumas questões sobre como esses sistemas estão no cinturão de asteróides. "Precisamos de mais trabalho teórico e observacional, bem como mais objetos semelhantes a este objeto, para encontrar uma resposta a esta questão", concluiu Agarwal.

A pesquisa é apresentada em um artigo, a ser publicado na revista Nature esta semana.

O Telescópio Espacial Hubble é um projeto de cooperação internacional entre a NASA e a ESA (Agência Espacial Européia). O Goddard Space Flight Center da NASA em Greenbelt, Maryland, administra o telescópio. O Instituto de Ciências do Telescópio Espacial (STScI) em Baltimore, Maryland, conduz operações de ciência do Hubble. STScI é operado para a NASA pela Associação de Universidades para Pesquisa em Astronomia, Inc., em Washington, DC
 
Fonte: http://ufosonline.blogspot.pt/

Distúrbio atmosférico pode formar um novo furacão no Atlântico na região onde nasceu o Irma !

O furacão Irma acaba de chegar na Flórida e já temos um relatório do NOAA apontando para o que seria o nascimento de uma tempestade tropical na costa africana, um novo sistema convectivo já dá sinais de vida.

Segundo o boletim do NOAA, nuvens intensas e tempestades associadas a uma onda tropical localizada a algumas centenas de quilômetros ao sul das Ilhas Cabo Verde (Mesma região onde nasceu o gigante furacão Irma) apresentam alguns sinais de organização ciclônica hoje.
As condições ambientais atuais do sistema Oceano/Atmosfera podem suportar pelo menos algum desenvolvimento adicional, e uma depressão tropical pode se formar dentro de alguns dias enquanto o sistema move-se geralmente ao noroeste sobre o Oceano Atlântico oriental.
* Chances de Formação ciclônica nas próximas 48 horas são baixas, cerca de 30%
* Chances de Formação ciclônica nos próximos 5 dias são já consideradas médias e ultrapassam os 50%.

Fonte: http://www.extraterrestreonline.com.br/

domingo, 10 de setembro de 2017

Furacão Irma castiga Cuba e chega à Flórida como ventos de 225 km/h !

Ao vivo: Cobertura da chegada do furacão Irma.

O furacão Irma atingiu o território de Cuba durante todo o sábado e na manhã de domingo já tocava as ilhas do extremo sul da Flórida. Irma mudou ligeiramente sua rota, o suficiente para diminuir o impacto sobre a costa leste e ameaçar com severidade toda a costa oeste do Estado.
O governador da Flórida afirmou na noite de sábado que neste momento não se tem mais nada a fazer e quem não seguiu as ordens de evacuação assumiu os riscos e está por conta própria. Segundo orientações da FEMA, a Defesa Civil dos EUA, as equipes não podem entrar nas áreas de impacto até que a situação se acalme. Assim, moradores nestas condições devem procurar abrigos e aguardar as equipes que só chegarão às zonas afetadas após a passagem da tormenta.

Cuba

Irma tocou Cuba com ventos de 255 km/h, o mais intenso a tocar a ilha desde 1924. Ao penetrar a porção de terra sua força caiu e de acordo com oficiais do país, castigou a porção norte de Cuba com ventos de 200 km/h.
Furacao Irma em Havana
Moradores de Havana, capital de Cuba, retornam as suas casas após a passagem do furacão Irma. Crédito: Getty Image

Mais forte em 85 anos

O impacto de Irma em Cuba foi tão arrasador que destruiu o instrumento que media o vento no arquipélago Camaguey e Ciego de Avila, ao norte da ilha principal. Nestas localidades, marés de tempestade (storm surges) de até 7 metros foram registradas.

Irma foi o primeiro furacão categoria 5 a tocar Camaguey nos últimos 85 anos.

Destruição no Caribe

Em sua passagem pelo Caribe, Irma fez 24 vítimas fatais, nove delas em territórios franceses, três em Porto Rico, quatro nas Ilhas Virgens americanas, quatro nas Ilhas Virgens Britânicas, uma em Barbuda, uma em Anguilla e duas em Saint Maarten.

Em Saint Martin e Saint Barts, Irma causou um prejuízo estimado em 1.5 bilhões de dólares.

Ainda não há informações de vítimas ou feridos em Cuba.
Status atual: 08h17 BRT - 10 set

Imagens de satélite registradas às 07h00 BRT mostram que o olho de Irma está muito próximo ao extremo sudoeste da Flórida, ligeiramente deslocado no sentido oeste do ponto onde deveria tocar o continente segundo a previsão. Esse ligeiro deslocamento fez mudar sua trajetória estimada.

Se antes a zona impactada seria a costa leste, agora as atenções estão voltadas para a costa oeste, em especial à cidade de Tampa, onde vivem cerca de 2.5 milhões de pessoas.

Irma voltou a ganhar força nesta manhã de domingo está castigando as Flórida Keys, ilhas agrupadas no extremo sul do estado, com ventos de 240 km/h.

Dados de aviões caça-furacões revelam que as bandas externas de Irma se estendem por 350 km/h desde o centro ciclônico.

Fonte: http://www.apolo11.com/temporada_de_furacoes.php?titulo=Furacao_Irma_castiga_Cuba_e_chega_a_Florida_como_ventos_de_225_km/h&posic=dat_20170910-083620.inc
 






sábado, 9 de setembro de 2017

Governo americano diz que impacto do furacão Irma poderá ser devastador !

De acordo com o Centro Nacional de Furacões, NHC, Irma atingirá o sul da Flórida no domingo com ventos de mais de 240 km/h. O furacão já matou dezenas de pessoas em algumas ilhas caribenhas e neste momento está atingindo severamente partes de Cuba e das Bahamas.

Pelo menos 24 pessoas morreram em Barbuda e Ilhas Virgens, depois que o furacão Irma castigou diversas ilhas da porção norte caribenha. Em Porto Rico, milhares de pessoas estão sem energia. Na quarta-feira, o furacão cruzou diversas ilhas caribenhas, incluindo Barbuda, Saint. Martin e Ilhas Virgens Britânicas. Em Saint Martin, oito pessoas morreram.

Devido à presença das ilhas, Irma perdeu um pouco de sua força na sexta-feira e de acordo com dados coletados por aviões caça-furacões, os ventos sustentados medidos às 17h35 BRT atingiam a marca de 255 km/h, com rajadas próximas a 310 km/h.

Irma é um poderoso sistema de baixa pressão que ruma perigosamente em direção ao sul da Flórida, onde milhares de pessoas foram obrigadas a deixar suas casas. A maior parte da população está buscando refúgio em estádios e escolas, enquanto outras lotaram as estradas rumo às cidades mais distantes ou onde o impacto será menos intenso, como Orlando, ao norte.

Em seu momento de pico, observado na quarta-feira (06/set), Irma apresentou ventos sustentados de 310 km/h durante 36 horas, o que o classificou como o mais forte furacão já registrado no oceano Atlântico.

De acordo com a Cruz vermelha, 26 milhões de pessoas estarão expostas aos ventos e tempestades destrutivas de Irma na República Dominicana, Haiti e Cuba.

Marés ciclônicas

De acordo com modelos de previsão, marés ciclônicas (storm surges) de até 7 metros poderão inundar completamente as Bahamas, cuja elevação máxima não supera 5 metros.

O mesmo fenômeno deve inundar com ondas de 3 metros as áreas costeiras da Flórida e inundar centenas de casas, especialmente em Flórida Keys, um conjunto de ilhas interligadas por pontes localizadas ao sul do Estado.

Status e previsão: 09 set - 18h00 BRT

Imagens de satélite das 17h00 BRT desta sexta-feira mostram que o olho de Irma está bem definido, situado entre o norte de Cuba e leste das Bahmas. Atrás dele, o furacão José, de categoria 4, pode ser visto perigosamente próximo das Ilhas Virgens.

No sábado, o olho de Irma atingirá o norte de Cuba, enquanto as bandas externas continuarão castigando as Bahamas.

No domingo pela manhã o furacão passará por cima do conjunto de ilhas Flórida Keys e em seguida penetrará no continente, possivelmente com ventos entre 230 e 250 km/h.

Às 17h30, os ventos máximos sustentados eram de 255 km/h com rajadas que ultrapassam 310 km/h. A pressão barométrica era é de 925 Hectopascais.

Fonte: http://www.apolo11.com/temporada_de_furacoes.php?titulo=Governo_americano_diz_que_impacto_do_furacao_Irma_podera_ser_devastador&posic=dat_20170908-175256.inc




Furacão Irina ao vivo !


Fonte: https://undhorizontenews2.blogspot.pt/

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Impressionante flare solar X9 injectou 130 Gigawatts na atmosfera da Terra !

Flare solar X9.3
Flare solar X9.3 registrado pelo satélite SDO, da NASA. A emissão foi tão intensa que cegou momentâneamente o sensor a bordo do observatório


Na manhã de quarta-feira o Sol produziu um dos mais intensos flares solares já observados. A intensidade da descarga foi tão elevada que cegou momentaneamente o sensor a bordo de um satélite de observação e injetou na atmosfera da Terra uma potência equivalente a 10 usinas de Itaipu.

O flare, de magnitude X9.3, ocorreu às 09h01 BRT de quarta-feira, 6 de setembro, e foi provocado pelo rompimento do campo magnético ao redor da Região Ativa AR2673, uma mancha solar de quase 3 bilhões de km2 de área que está apontada para a Terra.

Grupos de manchas do tipo "beta-gama-delta" têm campo magnético tão complexo que é impossível observar linhas de fluxo conectando duas manchas de polaridade oposta. Flares originados nesse tipo de região ativa atingem facilmente as classes M ou X.

Logo após o evento foram observados blecautes de radiopropagação terrestres na face iluminada e interferências bastante expressivas em sistemas de radiolocalização que operam em baixa frequência. Não há relatos de panes significativas em malhas da rede elétrica de distribuição.
Grafico de emissao Flare Solar X9

Gráfico mostra o momento da emissão eletromagnética em raios-x de nível X9.3


Modelos de previsão de impacto de Ejeção de massa coronal indicam que uma frente de choque deve atingir a Terra entre os dias 9 e 10 de setembro, mas não mostram choque significativo a ponto de elevar fortemente o índice KP, que mede a instabilidade na ionosfera.

Dez Usinas de Itaipu

O flare de classe X-9.3 iluminou de raios-x toda a face da Terra voltada para a estrela. A potência calculada do flare atingiu a impressionante marca de 130 Gigawatts, uma potência instantânea que para ser produzida seriam necessárias dez usinas de Itaipu ao mesmo tempo.

Embora altamente poderosa, emissões de raios-x não ultrapassam a atmosfera terrestre. Ela age como proteção contra esse tipo de radiação e sem a qual seria praticamente impossível a vida na Terra.

Fonte: http://www.apolo11.com/spacenews.php?titulo=Impressionante_flare_solar_X9_injetou_130_Gigawatts_na_atmosfera_da_Terra&posic=dat_20170907-093617.inc




quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Não é possivel explicar o que está a causar aurora MISTERIOSA em Júpiter !

Os cientistas descobriram um misterioso novo tipo de aurora em Júpiter, o que não parece se encaixar em nenhum dos nossos modelos existentes. E os cientistas estão insinuando que algo desconhecido está acontecendo no planeta.
Dirigido por Barry Mauk, do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins em Maryland, os pesquisadores usaram dados da nave espacial Juno da NASA, atualmente em na órbita de Júpiter, para estudar a aurora do gigante de gás.

O que você provavelmente achou confuso, é a aurora mais brilhante de Júpiter e parece ser alimentada por um processo que nunca foi antes visto. Esta aurora pode ter um poder de cerca de 1.000 miliwatts por metro quadrado, em comparação com apenas 10 ou 20 miliwatts por metro quadrados de uma aurora terrestre.

“Definitivamente está acontecendo algo que não entendemos”, disse Mauk. “Estamos vendo algo novo aqui”, concluiu.
Uma imagem do Hubble da aurora de Júpiter do ano passado. NASA / ESA / J. Nichols (Universidade de Leicester)
Então o que está acontecendo? Vamos explicar. Na Terra, temos 3 tipos de aurora. As mais brilhantes – responsáveis pelos icônicos padrões aurorais ondulantes. Depois, há um tipo muito mais fraco, chamado de Alfvénic, que você não pode ver a olho nu, e uma outra ainda mais fraca.

As auroras mais brilhantes e discretas são causadas por um fluxo descendente de elétrons em nosso campo magnético resultante do vento solar. Isso causa potenciais elétricos na ordem de vários milhares de volts em nossa atmosfera.
Um close-up (cor falsa à esquerda) da aurora de Júpiter, tomada por Juno. G. Randy Gladstone / Bertrand Bonfond

Em Júpiter, as coisas são diferentes. Os potenciais elétricos nos pólos de Júpiter são 10 a 30 vezes maiores que os observados na Terra, até 400.000 volts. Mas a aurora mais brilhante não pode ser explicada por nenhum desses processos citados.

“Em Júpiter, as auroras mais brilhantes são causadas por algum tipo de processo de aceleração turbulenta que não entendemos muito bem”, disse Mauk.

Na Terra, a fonte de energia de nossas auroras é o vento solar, que sopra sobre nosso campo magnético e age como um gerador gigante. Em Júpiter, no entanto, a fonte de energia é a rotação do próprio planeta, ou seja, todo o poder vem da sua rotação.

Mas a descoberta deste novo tipo de aurora joga nossos modelos pela janela. A rotação de Júpiter, que age como um gerador, não pode explicar como se forma. Algo mais deve estar acontecendo. O que é isso, ainda não sabemos.

Isso poderia ter implicações para estudar estrelas e planetas fora do Sistema Solar. Se houver algum tipo de processo completamente novo, podemos sugerir que existem fenômenos nos campos magnéticos planetários ou estelares que simplesmente não encontramos anteriormente.

Os cientistas, agora, usarão mais dados para tentar chegar ao fundo da misteriosa aurora. Nós já sabíamos que Júpiter era bastante estranho. Agora, ficou mais estranho ainda. 
Fonte: http://ufosonline.blogspot.pt/

Estação Espacial Internacional regista as impressionantes imagens do Furacão Irma !

Imagem de satélite capta a movimentação do Furacão Irma
 (NOAA/ Goddard MODIS Rapid Response Team/Nasa)

Mesmo visto do espaço, fenômeno manteve dimensões impressionantes
As imagens impressionam: um grande vórtice de nuvens brancas que mantém uma dimensão espantosa mesmo sendo filmado do espaço pela Estação Espacial Internacional. Trata-se do furacão Irma que atingiu categoria 5 no norte do Caribe e agora segue e direção a Porto Rico, Cuba e Estados Unidos.Veja abaixo o vídeo divulgado pela Nasa

Fonte: http://www.extraterrestreonline.com.br/

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Cientistas confirmam que a Terra é a causadora dos terramotos lunares !

Buzz Aldrin junto ao sismografo na Lua
Astronauta Buzz Aldrin posa ao lado do primeiro sismômetro lunar instalado durante a missão Apollo, entre 1969 e 1977.

Baseados em dados registrados pela missão Apollo, pesquisadores japoneses concluíram que a gravidade da Terra é a culpada direta pelos terremotos lunares de grande profundidade.

A conclusão é do geólogo Táxi Kawamura, ligado ao Observatório Astronômico Nacional, do Japão, que reanalisou mais de 100 tremores registrados por sismógrafos deixados na Lua durante a missão Apollo há 40 anos, entre os anos de 1969 e 1977.

Segundo Kawamura, os eventos estudados ocorreram entre 800 e 1200 km de profundidade e diferentemente dos sismos terrestres apresentavam periodicidade de cerca de 27 dias.

Para o estudo, a equipe de Kawamura modelou os antigos dados dos sismógrafos instalados na Lua e descobriu que as forças de maré criadas pela gravidade da Terra coincidiam com os sismos lunares registrados no mesmo período.

Conhecidas como marés de corpo sólido, essas tensões podem formar falhas ou rachaduras no interior da Lua e à medida que o estresse se acumula podem causar tremores. A ideia não é nova e já foi proposta anteriormente em diversas discussões, mas o estudo de Kawamura fornece mais dados sobre o fenômeno.

Terremotos Lunares

"A correlação entre a ocorrência de um terremoto profundo e o estresse das marés foi demonstrada e nosso estudo apoia a ideia de que o estresse não está apenas desencadeando os terremotos profundos, mas também é responsável pela liberação da energia da atividade sísmica", detalha Kawamura.
Sismograma Lunar
Um ddos sismogramas lunares utilizado pela equipe de Kawamura durante o estudo. Os dados foram coletados durante as missões Apollo e mostram tremores rasos, profundos e também impactos de meteoritos.

O cientista observa que os estudos anteriores subestimaram o estresse liberado, pois usavam dados de apenas um dos sismômetros. Ao combinar sinais de diferentes instrumentos o estudo descobriu que o acúmulo de tensões de maré não ocorreu repentinamente, mas longo de um mês.

A regularidade de 27 dias dos tremores também confirma a ideia de que eles são causados pela gravidade da Terra, pois é o mesmo tempo que leva a Lua a orbitar nosso planeta.

Terremotos Longos

Diferentemente dos terremotos terrestres, que cessam em minutos, sismos lunares duram mais tempo. Segundo Madeleine Jepsen, da American Geophysical Union, isso acontece porque a Lua é muito mais seca e mais fria do que a Terra. Isso faz as vibrações durarem mais tempo. No caso da Terra, a estrutura é mais maleável e como uma esponja que absorve as vibrações.

A Lua não tem atividade tectônica como o nosso planeta e muitos terremotos que afetam a Lua ainda não são perfeitamente compreendidos. O estudo de Kawamura pode trazer mais luz sobre esses eventos.

Fonte: http://www.apolo11.com/spacenews.php?titulo=Cientistas_confirmam_A_Terra_e_culpada_pelos_terremotos_lunares&posic=dat_20170901-101231.inc

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

A próxima missão da NASA a Marte em 2018 irá perfurar o solo do Planeta Vermelho !

próxima missão da NASA a Marte em 2018
Técnicos suspendem uma parte da sonda InSight para testes na Lockheed Martin em Littleton, estado do Colorado. NASA/JPL-Caltech/Lockheed Martin

A sonda InSight vai mergulhar profundamente no subterrâneo marciano, empurrando dois instrumentos abaixo da superfície que irão retirar as informações das profundezas.

O que há embaixo da superfície em Marte? A próxima missão da NASA tem como objetivo descobrir. O projeto InSight, a primeira missão da NASA para estudar o interior profundo do Planeta Vermelho, está em andamento para um lançamento em 2018, depois de ter demorado dois anos devido a uma questão técnica. Os cientistas esperam que isso ajude a explicar a formação de planetas rochosos, inclusive do nosso.

A InSight deverá ser lançada em algum momento nas cinco semanas após 8 de maio de 2018, com um curso traçado para sua chegada logo após o Dia de Ação de Graças (novembro). A Lockheed Martin Space Systems construiu a nave espacial da missão – uma sonda estacionária que será posicionada perto do equador marciano – e atualmente está sendo testada em uma instalação perto de Denver.

“A sonda está completa e os instrumentos foram integrados a ela para que possamos completar os testes finais da nave espacial, incluindo acústica, implementações de instrumentos e testes de balanço térmico”, disse Stu Spath, gerente de programa espacial da Lockheed Martin, em um comunicado.

Enquanto muitas missões visaram Marte nas últimas duas décadas, os jipes-sondas, sondas orbitais e de pouso envolvidos concentraram-se na superfície do planeta vermelho, examinando recursos como crateras, rochas, regolitos (solo) e vulcões.

Ao contrário de qualquer missão que a precedeu, a InSight irá mergulhar profundamente no subterrâneo marciano, empurrando dois instrumentos aproximadamente três a cinco metros abaixo da superfície, que transmitirá a informação das profundezas marcianas. 
Renderização artística da sonda InSight. NASA / JPL-Caltech

O primeiro é um sismômetro cujo desenvolvimento foi liderado pela agência espacial francesa CNES em colaboração com vários outros países, inclusive os EUA. O aparelho é suficientemente sensível para detectar movimentos terrestres que são apenas metade do diâmetro de um átomo de hidrogênio, e seu principal objetivo é gravar “martemotos” (ondas sísmicas) ou impactos de meteoros, o que ajudará a revelar informações sobre as camadas internas de Marte.

O segundo é uma sonda de calor que pode penetrar a pelo menos três metros na superfície para medir a quantidade de energia que vem do interior do planeta.

O objetivo é aprender melhor como se formaram planetas terrestres como Vênus, Terra e Marte. Marte dá uma vantagem especial a este tipo de investigação porque, ao contrário da Terra, as placas tectônicas (que geram terremotos, entre outros fenômenos) não parecem estar ativas no planeta.

“Devido o fato do interior de Marte tem revirado muito menos do que a Terra nos últimos três bilhões de anos, Marte provavelmente preserva a evidência sobre a infância dos planetas rochosos melhor do que o nosso planeta natal”, disse Bruce Banerdt, investigador principal da InSight no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA na Califórnia .

O terceiro componente experimental principal do projeto usará transmissões de rádio entre Marte e Terra para investigar mudanças em como o Marte gira em seu eixo. Isso poderia revelar informações sobre o tamanho do núcleo do planeta vermelho.

Quando uma missão para Marte é adiada por mais de algumas semanas, é preciso esperar mais 26 meses para o lançamento. Isso ocorre porque há somente um curto período a cada 6 meses onde as órbitas da Terra e do Marte trazem os dois planetas em uma posição favorável para o lançamento da nave espacial – o que economiza combustível e tempo de viagem na nave espacial.

A demora de 26 meses da missão InSight veio em parte devido à geometria orbital, bem como a uma questão técnica. A NASA cancelou o lançamento previsto de março de 2016 após descobrir um vazamento em um recipiente que envolve os principais sensores do sismômetro; o recipiente deveria manter um vácuo próximo a esses sensores. Uma nova embarcação a vácuo foi entregue em julho e instalada.

“Corrigimos o problema que tínhamos há dois anos, e estamos ansiosamente preparando o lançamento”, disse Tom Hoffman, gerente de projeto da InSight no JPL

Fonte: http://ovnihoje.com/2017/08/29/proxima-missao-da-nasa-a-marte-em-2018/

Quinze novos sinais extraterrestres são captados por equipe que procura alienígenas !

sinais extraterrestres são captados
Um projeto de US$ 100 milhões para a busca por alienígenas inteligentes captou 15 flashes de luz estranhos e repentinos provenientes de uma galáxia distante.

A galáxia anã conhecida como FRB 121102, que fica a 3 bilhões de anos-luz da Terra, é uma fonte conhecida de rajadas rápidas de rádio e de alta energia (sigla em inglês FRBs). Mas os pulsos recém-detectados se destacam, disseram os astrônomos.

Andrew Siemion, diretor do Centro de Pesquisa Berkeley SETI (Procura por Inteligência Extraterrestre) na Universidade da Califórnia, Berkeley, disse em um comunicado:

Rajadas de rádio desta fonte nunca foram vistas nesta alta freqüência.

Siemion é um membro da equipe Breakthrough Listen, um projeto de US$ 100 milhões que está procurando sinais potenciais de civilizações alienígenas das 1 milhão de estrelas mais próximas do Sol, as 100 galáxias mais próximas da nossa Via Láctea e do plano galáctico.

Alguns pesquisadores pensam que as FRBs – que foram descobertas em 2007 e permanecem misteriosas hoje – poderiam ser sinais vindos de alienígenas. Por exemplo, os astrônomos especularam que as FRBs podem ser geradas por laser projetados para impulsionar naves alienígenas através do espaço em altas velocidades – um método de propulsão semelhante ao desenvolvido pelo projeto ambicioso irmão do Breakthrough Listen, o Breakthrough Starshot. (Os alienígenas não são a única explicação possível, é claro. Alguns cientistas pensam que as FRBs provavelmente sejam emitidas por estrelas de nêutrons de rotação rápida, por exemplo).

Assim, a galáxia FRB 121102 – que, como seu nome sugere, foi descoberta em 2 de novembro de 2012 – foi um alvo natural para a equipe Breakthrough Listen, disseram os pesquisadores. Os cientistas, liderados pelo pesquisador pós-doutorado da Berkeley SETI Research Center, Vishal Gajjar, detectaram os 15 novos pulsos no sábado (26 de agosto) utilizando o Green Bank Telescope no estado da Virgínia Ocidental, nos EUA.

Gajjar afirmou:

Além de confirmar que a fonte está em um estado recém-ativo, a alta resolução dos dados obtidos pelo instrumento Listen permitirá medir as propriedades dessas explosões misteriosas com uma precisão maior que nunca antes.

Para ser claro, a equipe Breakthrough Listen não está afirmando que as rajadas vindas da FRB 121102 sejam evidências da vida alienígena. Mas as novas observações, e outras como essa, podem levar a uma melhor compreensão das FRBs e outros fenômenos intrigantes, disseram pesquisadores.

Siemion ainda disse:

Se as rajadas rápidas de rádio forem ou não assinaturas da tecnologia extraterrestre, a Breakthrough Listen está ajudando a empurrar as fronteiras de uma área nova e em rápida expansão de nossa compreensão sobre o Universo que nos rodeia.

O projeto Breakthrough Listen foi anunciado em julho de 2015 pelo empresário bilionário Yuri Milner e uma equipe de cientistas, inclusive o famoso cosmólogo Stephen Hawking.

Fonte: http://ovnihoje.com/2017/08/31/novos-sinais-extraterrestres-sao-captados/

Teletransportador biológico poderá semear a vida em nossa galáxia !

Teletransportador biológico
“Temos sonhado por cerca de uma década, sobre a capacidade de enviar faxes de formas de vida”, diz Juan Enriquez, executivo da Excel Ventures, uma empresa de capital de risco, que imagina uma nova Revolução Industrial com o “conversor biológico-digital”, sigla DBC em inglês, como reportado pela Review Technology do Instituto de Tecnologia de Massachusetts – MIT.

Craig Venter, o biólogo renegado que fundou a Synthetic Genomics em 2005, mas já não tem um papel no dia-a-dia em suas atividades, disse que ele mesmo pensa que será possível transmitir formas de vida entre os planetas.

Isso poderia ajudar os futuros colonos marcianos, dando-lhes acesso às vacinas, antibióticos ou medicamentos personalizados que eles precisariam. E se a vida baseada em DNA for encontrada lá, uma versão digital poderia ser transmitida de volta à Terra, onde os cientistas poderiam recriar o organismo extraterrestre usando sua própria caixa de impressão de vida.

O protótipo atual, apoiado pela DARPA, pretende ser miniaturizado e vendido pela Synthetic Genomics para uso em hospitais, locais de trabalho e residências.

O protótipo atual pode produzir apenas DNA, não proteínas ou células vivas, mas mesmo isso pode ser suficiente para tornar o dispositivo prático. Seus pesquisadores acreditam que seu protótipo atual já é capaz de produzir DNA com precisão suficiente para ser usado como vacina.

Venter também vê uma versão de impressão de DNA do dispositivo ajudando com cuidados médicos mais regulares. O equipamento poderia imprimir o DNA que codifica a insulina hormonal tão importante para os diabéticos. Adicionando esse DNA a um kit de síntese de proteínas, uma ferramenta que é comum nos laboratórios de pesquisa em todo o mundo, produziria o tratamento para injeção. Venter também tem a crise de antibióticos em sua mira.

Olhando para a frente, Venter pretende que os equipamentos imprimam células vivas, usando uma versão automatizada e melhorada do processo por trás de sua célula sintética inovadora de 2010. Este trabalho está em andamento, com o foco em criar o que ele chama de “célula receptora universal”, um tipo de lousa biológica em branco, capaz de receber qualquer genoma sintético e ganhar vida.

Os cientistas de Venter também estão trabalhando em uma máquina chamada “unidade de envio de vida digitalizada” que sequenciaria roboticamente um genoma a partir de uma amostra e geraria um arquivo de DNA digital que então é enviado para um DBC para recriar a vida original em um novo local.

O primeiro teletransportador biológico está em um laboratório no andar mais baixo do prédio de San Diego que abriga a Synthetic Genomics Inc. (SGI), parecendo como um carrinho de equipamento super dimensionado. O dispositivo é realmente um conglomerado de pequenas máquinas e robôs de laboratório, ligados entre si para formar uma máquina grande. Mas este equipamento pode fazer algo sem precedentes: ele pode usar o código digital transmitido para imprimir vírus.

Fonte: http://ovnihoje.com/2017/08/31/teletransportador-biologico/

sábado, 26 de agosto de 2017

Mar contina a recuar - Entenda mais sobre o fenómeno Maré Astronômica e Meteorológica !

O recuo do mar por conta da maré baixa deixou à mostra em Florianópolis os destroços do navio Guarará, que afundou há 63 anos. A embarcação está a mais de 100 metros da areia da praia do Pântano do Sul, no Sul da Ilha. Esta é a segunda vez que o estado registra maré baixa neste mês, como mostrou o NSC Notícias desta quinta-feira (24).
A região litorânea de Santa Catarina começou a registrar maré seca nesta quinta. Com isso, em diversas cidades, a faixa de areia se estendeu, e barcos que antes ficavam na água estão agora em área seca. O fenômeno deve seguir até sábado (26), conforme a Epagri/Ciram, órgão que monitora as condições climáticas do estado. O meteorologista Leandro Puchalski enfatizou que a maré baixa não está relacionada a tsunamis.
Em Balneário Rincão, no Sul do estado, o mar chegou a recuar 30 metros , segundo pescadores. A maré baixa também atinge os rios, o que impede de levar os barcos para o mar. "50 anos que eu tenho de idade, eu nunca vi uma maré assim tão baixa nos nossos rios", afirmou o pescador Rogério Cardoso.
Destroços do navio Guarará puderam ser vistos na praia do Pântano do Sul 
(Foto: Reprodução/NSC TV) 
Uma grande faixa de areia tomou conta do Rio Itajaí-Açu, no Vale do Itajaí, no local conhecido como Lagoa Saco da Fazenda. Um veleiro chegou a ficar encalhado.
Maré astronômica e meteorológica

O que faz a água subir e baixar todo dia é a atração gravitacional que os astros, especialmente o sol e a lua, exercem sobre os oceanos do planeta. Esse fenômeno é conhecido como maré astronômica, que está em seu ponto máximo em Santa Catarina. O forte recuo do mar, que já ocorreu neste mês e está voltando agora, ainda está relacionado a outro fenômeno.
"O que explica esse recuo acentuado é o que a gente chama de maré meteorológica. É a ação do vento sobre a superfície do mar, que retira toda essa água da costa e leva para a região oceânica. São ventos intensos de quadrante nordeste soprando por uma longa extensão do mar. Esse vento gera uma corrente sobre a superfície do mar e essa corrente, em função do movimento de rotação da Terra, retira toda a água para fora na direção oceânica. É por isso que a gente percebe nas praias redução mais acentuada do nível do mar", explicou o oceanógrafo da Epagri Carlos Eduardo de Araujo.
Segundo ele, a ocorrência de maré baixa no início do mês foi mais acentuada. "A gente vai ver o fenômeno ocorrendo, de forma bastante intensa. Mas não tanto quanto o último evento porque tanto a intensidade quanto a extensão que o vento sopra sobre o oceano são menores do que no último evento".

Horários dos picos de maré nesta sexta (25)

Florianópolis

Pico da maré baixa: 12h47 com 0,4 m
Pico da maré alta: 17h02 com 1,1 m
Pico da maré baixa: 21h com 0,2 m

Imbituba

Pico da maré baixa: 10h04 com 0,1 m
Pico da maré alta: 15h08 com 0,6 m
Pico da maré baixa: 21h43 com 0,2 m

Itajaí

Pico da maré baixa: 08h23 com 0,2 m
Pico da maré alta: 16h51 com 1,0 m
Pico da maré baixa: 21h0 com 0,2 m

São Francisco do Sul

Pico da maré baixa: 10h02 com 0,2 m
Pico da maré alta: 13h28 com 1,0 m
Pico da maré alta: 18h54 com 1,4 m
Pico da maré baixa: 22h39 com 0 m

Fonte: http://ufosonline.blogspot.pt/

Harvey, maior furacão desde 2005 atinge a costa dos Estados Unidos !

Com ventos sustentados de 179 km/h, o gigantesco furacão Harvey está praticamente tocando os EUA na altura da costa do Texas. Harvey é um sistema gigante e cobre quase um terço do Golfo do México. Segundo a Fema, o Texas está no limiar de um desastre significativo.

Imagem de satelite do furacao Harvey, registrada pelo satélite de sensoriamento remoto TERRA, da Nasa.
Imagem de satélite furacão Harvey

Harvey é o maior sistema ciclônico a tocar a costa dos EUA desde 2005 e de acordo com o Centro nacional de Furacões, dos EUA, despejará entre 300 e 500 milímetros de chuvas nas próximas horas.

Harvey é um poderoso furacão de categoria 3 na escala Saffir-Simpson, que mede a intensidade dos furacões. Segundo o NHC, na manhã de sexta-feira os ventos sustentados atingiam 179 km/h, com rajadas ultrapassando 200 km/h.

Imagem de satelite furacao Harvey

As imagens de satélite da manhã de sexta-feira mostram que o olho de Harvey se localizava a poucos quilômetros da costa estadunidense, a 225 km da cidade de Corpus Christi, no Texas. Informações coletadas por avião caça-furacões revelam que a pressão barométrica era de apenas 950 hectopascais.

Desastre Significativo

"O Texas está no limiar de desastre significativo", disse Brock Long, diretor da FEMA, o órgão responsável pelo gerenciamento de emergências dos EUA.

Segundo Long, há necessidade urgente de evacuação das áreas costeiras de parte da costa norte do Golfo do México.

Na noite de quinta-feira, o governador do Texas, Greg Abbott, requisitou o reforço de 700 homens da Guarda Nacional e ordenou o fechamento dos portos das cidades de Corpus Christi e Galveston.

Fonte: http://www.apolo11.com/temporada_de_furacoes.php?titulo=Maior_furacao_desde_2005_Harvey_atinge_costa_dos_EUA&posic=dat_20170825-104414.inc

Aumenta dramaticamente a possibilidade de vida microbiana em Marte !

vida microbiana em Marte
Dunas na cratera Gale em Marte. Crédito de imagem: NASA

Um novo estudo revela que, graças a altas concentrações de zinco e germânio, semelhantes às que aparecem juntas na Terra, o planeta vermelho poderia oferecer as condições necessárias para a existência de micróbios.
Novos dados coletados em Marte pela NASA, através do jipe-sonda Curiosity, reforçam evidências sobre a possível existência da vida no planeta vermelho. Em um estudo publicado no Journal of Geophysical Research: Planets, pesquisadores da agência aeroespacial dos EUA referem-se à atividade hidrotermal indicativa de rochas sedimentares em uma cratera marciana, que amplia o alcance das condições de habitabilidade.
Segundo os cientistas, as concentrações de zinco e germânio encontradas na Cratera Gale são de 10 a 100 vezes maiores que as encontradas na crosta marciana típica.
Ambos os elementos químicos geralmente aparecem juntos na Terra, em reservatórios hidrotérmicos contendo enxofre.
Jeff Berger, um geólogo da Universidade de Guelph (Ontário, Canadá) e autor principal do novo estudo, argumenta que as altas concentrações de zinco e germânio na cratera Gale podem ser explicadas pela atividade hidrotermal na área.
Graças à uma série de testes nas condições hidrotérmicas presentes nas proximidades da cratera Gale, a missão do Curiosity se concentrará agora em determinar se houve condições ambientais favoráveis ​​para a vida de micróbios naquele planeta.
Essa vista obtida pela câmera do mastro do Curiosity da NASA mostra um local com uma rede de veias minerais proeminentes abaixo de um cume de rocha. Crédito de Imagem: NASA
Como observado pelo site Phys.org, a evidência de possível atividade hidro-termal foi descoberta por outros jipes-sondas de Marte em diferentes locais na superfície do planeta vermelho, bem como em amostras de meteoritos marcianos. Os cientistas, usando simulações computacionais, experimentos laboratoriais e pesquisas de sites hidro-térmicos na Terra estão tentando entender a potencial atividade hidro-térmica passada em Marte.
Até agora, descobriram dados totalmente inesperados que alteram tudo o que pensamos sobre Marte.
Berger disse:
Você tem calor e gradientes químicos … condições favoráveis ​​para a gênese e persistência da vida.
Ambientes térmicos extremos são na Terra o habitat de uma ampla gama de micróbios que de alguma forma conseguiram se adaptar a essas condições.
Além disso, esses organismos podem ter sido alguns dos primeiros a evoluir no nosso planeta.
No novo estudo, utilizando dados do Mars Science Laboratory APXS montado no braço robótico do Curiosity, os cientistas mediram 16 principais elementos nas rochas encontradas na cratera Gale, inclusive o zinco. Eles também analisaram o uso das amostras de instrumentos de química e mineralogia do jipe-sonda Curiosity, a partir de sua broca e pá.
A cratera Gale se formou 3,5 a 3,8 bilhões de anos atrás devido a um impacto de meteoro no início da história de Marte. As rochas dentro da Cratera de Gale são de grande importância se quisermos determinar se a Marte possui as condições necessárias para hospedar a vida microbiana, de acordo com a NASA.
Conforme observado por Ashwin Vasavada, cientista do projeto da missão Curiosity, no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia, a nova pesquisa ilumina o que pode ter acontecido antes e depois da formação do lago.

Fonte: http://ovnihoje.com/2017/08/26/vida-microbiana-em-marte/

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Forskolin - A pílula refeição imaginária que diz ao corpo ter comido !

Depois duma grande expectativa, Forskolin chega nas Farmácias Portuguesas: um fármaco que inicia o processo digestivo sem o consumo de alimentos e permite ao corpo de queimar a gordura em excesso

O sonho de todas as pessoas com excesso de peso em breve poderá ser cumprido: dos EUA chega a pílula que ajuda a se livrar dos quilinhos a mais. É chamada Forskolin e é um fármaco que engana o corpo, ativando o processo digestivo com uma refeição imaginária, para induzi-lo a queimar gordura. Testemunhos têm dado resultados promissores até agora pela queima de gordura em excesso.

>> Perde +12 quilogramas em menos de 4 semanas!! <<

Perder peso sem fome, bem como queimar o excesso de gordura. Forskolin também reduz o nível de colesterol e de açúcar no sangre e minimiza a inflamação. Ronald Evans, autor do estudo e diretor do Laboratório Gene Expression do Instituto Salk, em La Jolla (Califórnia), anuncia a chegada nas Farmácias Portuguesas.
“Esta pílula é como uma refeição imaginária. Afirmou que envia os mesmos sinais que normalmente começam dentro do corpo quando uma pessoa ingere grandes quantidades de comida. O corpo, para ser capaz de guardar a comida, com base nestes sinais, começa a liberar o espaço. Mas neste caso não há calorias. E não há nenhuma mudança no apetite.”

A luta contra a balança. A equipe liderada por Evans subministrou um comprimido por dia durante 5 semanas num grupo de mulheres, algumas um pouco acima do peso, outras com obesidade mais avançada. Os resultados são surpreendentes: mostrou uma aceleração do metabolismo e o derretimento dos depósitos de gordura no corpo.

Na base do comprimido existe um mecanismo que envolve o “Farnesoid X receptor” (FXR), uma proteína que catalisa o processo através do qual o corpo liberta ácidos biliares a partir do fígado, digere e armazena as gorduras e açúcares alimentares. Este receptor é ativado no início de uma refeição e empurra o corpo a queimar gordura para se preparar a receber os alimentos.

Tratamento contra o sobrepeso. A administração por via oral, e não por via intravenosa, permite que o fármaco age de uma forma direita ao nível do intestino, obtendo excelentes resultados na balança. Na América Forskolin já é amplamente utilizado na luta contra o excesso de peso e para acelerar o metabolismo.

Descubra a Verdade Sobre o Emagrecedor Forskolin e Tudo o que Ele Pode Fazer por Você !

Descubra tudo o que você ainda não sabe sobre este emagrecedor
Você conhece o Dr. Oz? O Dr. Oz é um programa de TV que é apresentado pela Fox Life no Brasil desde 2010. Ele é amplamente conhecido, pois tem como apresentador o doutor em medicina Mehmet Öz e o objetivo do programa é ser informativo sobre tudo relacionado à medicina e saúde.
Recentemente, foi apresentado no Dr. Oz a forscolina para desmitificar matérias e artigos que afirmavam que a substância não faz bem para a saúde. Devido às suas propriedades de emagrecimento, a forscolina foi considerada um dos melhores suplementos para eliminar barriga.
Emagrecer é o sonho de 10 entre 10 mulheres. Imagine se um remédio, além de emagrecer, ainda conseguir o milagre de eliminar a barriga? Todas as mulheres iriam se render aos seus mistérios e possíveis milagres. Afinal emagrecer perdendo barriga é perfeito não é mesmo? Se necessitar de pouco esforço então é um sonho!

O Que é  Forskolin

A Forscolina ou Forskolin como também é chamada, é um remédio produzido a partir do extrato de uma planta tropical, a Coles Forskohlii. Essa planta, também pode ser chamada de Plectranthus Barbatus.

Para Que Serve o Forskolin

O Forskolin é considerado um suplemento utilizado no emagrecimento. Por possuir ativos termogênicos, ele é um excelente aliado das dietas.
Os termogênicos, para quem não sabe, são propriedades que determinados alimentos possuem que aceleram o nosso metabolismo, ou seja, acelera todo o processo do nosso organismo, e com isso existe a perda de peso. Além disso, o Forskolin possui também propriedades antioxidantes.
O Forskolin é um composto originado de maneira natural na planta Coleus Forskohlii. Ele tem sido utilizado no estudo fisiológico de células com a finalidade de ativar a adenililciclase enzimática.
Ele também tem sido utilizado para observar, com este procedimento, o aumento nos níveis intracelulares de AMP cíclico ou cAMP. O cAMP que desempenham um papel importante na sinalização celular. Ele atua diretamente na maneira como as células reagem a diversos estímulos hormonais, que afetam a função do hipotálamo e da glândula pituitária.
Isso significa exatamente que ingerir regularmente o Forskolin é uma maneira eficaz de auxiliar suas células a se comunicarem melhor entre si. Dessa forma, ocorre o aumento da função hormonal, ou seja, as produções hormonais são intensificadas. Isso propicia o aumento da produção da enzima lipase hormono-sensível (LHS).
No colégio aprendemos, nas aulas de química, que o prefixo “lipo” se refere a gordura e “ase” se refere à quebra. Portanto, lipase nada mais é que um processo natural em que ocorre a quebra da gordura.
Estudos defendem que quando ocorre o aumento da produção do cAMP pode haver indiretamente a produção de hormônios da tireoide. Isso ajuda a estimular o metabolismo e por consequência, ocorre a queima de gordura em grande escala.
Assim, o Forskolin faz com que o corpo produza mais enzimas que quebram a gordura, ocorrendo a perda de peso de uma forma mais rápida.

Como Forskolin Emagrece

Há estudos que têm se dedicado a analisar se o Forskolin emagrece mesmo. O que sabemos é que os resultados têm sido positivos.
Você deve estar se perguntando como o Forskolin pode emagrecer e ainda eliminar barriga! Simples, a forscolina faz com que o corpo produza mais enzimas que quebram a gordura.
Nossa principal reserva de gordura fica na região do abdomên, logo, a principal região a ser afetada é a região abdominal. Por isso, o Forskolin emagrece e elimina aquela barriguinha indesejada.

Estudos Comprovam a Eficácia do Forskolin

Um estudo realizado e publicado no Journal of the International Society of Sports Nutrition, em 2005, apontou efeitos significativos em mulheres que foram submetidas ao uso regular do Forskolin durante um determinado período.
Algumas das mulheres observadas apresentaram redução na fadiga e no apetite. Isso faz do Forskolin um importante aliado para pessoas que estão sob a ação de dietas de baixa caloria.
Outra conclusão fantástica dos testes feitos com o Forskolin é que ele não apresentou nenhuma interação metabólica, sanguínea, muscular ou hepática, sedo um medicamento seguro e não prejudicial à saúde.

Forskolin Tem Resultados Comprovados Cientificamente

Além dos testes feitos com a ingestão do Forskolin, foram feitos testes com pomadas contendo a substância e os resultados observados foram surpreendentes.
Utilizando partes do corpo que tendem a acumular gordura insistentemente, como quadris e coxas femininos e abdômen masculino, houve a redução significativa da circunferência destas regiões.
Apesar de muitos contestarem as teorias de que a gordura corporal localizada pode ser eliminada com o uso de Forskolin, diversos ensaios publicados no Journal of Obesity Research, em 1995, comprovaram resultados positivos após o uso da pomada.
Já um estudo publicado no Journal of Obesity Research, que teve como objetivo especificar a composição corporal e maneira como se adaptam do ponto de vista hormonal, estimulou o consumo do Forskolin em homens que apresentavam sobrepeso e/ou obesidade.
O estudo foi feito de maneira aleatória e controlado com placebo. Ele ocorreu durante 12 semanas e teve a participação de 30 homens, recebendo a dose diária de 250mg de 10% de extrato de forscolina, sendo esta dose dividida em duas vezes por dia.
Surpreendentemente, a pesquisa concluiu que houveram diversas reações do corpo dos homens participantes, entre elas:
  • Redução significativa no percentual de gordura corporal;
  • Redução significativa de massa total de gordura;
  • Aumento significativo de massa magra;
  • Mudança no tecido ósseo, com aumento na densidade óssea;
  • Aumento dos níveis de testosterona livre.
O que isto representa? Muito coisa para o mundo do emagrecimento. Como já mostrado pelo Dr. Oz, a forscolina não atua somente como um suplemento que pode atuar como emagrecedor, mas sim como um suplemento que torna o corpo mais saudável.
Além disso, ela é capaz de deixar o nosso organismo fortalecido, devido à quantidade de vitaminas e minerais que o Forskolin possui.
O grupo de pesquisa também concluiu que a forscolina é um possível agente terapêutico para o controle e tratamento da obesidade. Além disso, age como regulador da testosterona para quem sofre de distúrbios causados pelos baixos níveis deste hormônio.
Estudos realizados em animais com o Forskolin
Estudos feitos com animais, mais especificamente ratos, concluíram que ocorreram alterações diferença no citocromo P450 com o uso do Forskolin.
O citocromo P450 atua na absorção e no metabolismo de diversos tipos de medicamentos que ingerimos incluindo anticoagulantes, como a varfarina, por exemplo.
Devido a este comportamento, é necessário consultar seu médico caso tenha a intenção de começar a utilizar qualquer produto que envolva o forscolina, principalmente o Forskolin.
Exceto pelo descrito acima, não foram observados outros efeitos secundários em testes envolvendo o uso da forscolina. Um estudo publicado no Journal of the International Society of Sports Nutrition encontrou resultados que demonstram que o uso de Forskolin não está associado a efeitos adversos.

Devo Tomar o Forskolin?

Dada à característica emagrecedora dos produtos que utilizam a forscolina como base, eles podem ser ótimos aliados à sua dieta.
Não apenas por isso, a forscolina pode ser utilizada como suplemento com foco na inibição de aumento da massa gorda e ainda ajudar os homens funcionando como agente regulador de testosterona.
Para as mulheres, esse feito não é sentido. Fique despreocupada quanto a isso, não existe efeito colateral demonstrado nos estudos ou em relatos que indiquem o efeito contrário em mulheres.

Efeitos Colaterais da Forskolin

Mesmo com diversos estudos realizados sobre os efeitos causados pelo uso do Forskolin, não foi possível comprovar que existam efeitos colaterais atribuídos ao seu uso. Um suplemento que é realmente natural, feito através de uma planta, sem que exista manipulação de componentes químicos que agridam a nossa saúde.
Pesquisando relatos de usuários que fizeram uso do Forskolin a curto, médio e longo prazo, não foi encontrado nenhum relato sequer contrário ao que dizem os estudos. Isso quer dizer que mais uma vez a real eficácia do Forskolin pode ser comprovada.

Forskolin é o Remédio para Emagrecer do Momento

O Forskolin chegou para revolucionar o mercado de emagrecedores, principalmente aqui no Brasil. Ele vem desbancando remédios e suplementos para emagrecer que destroem a saúde de quem os consome e que ainda por cima não apresentam os resultados que são prometidos em suas campanhas de marketing.
Afinal nenhum destes emagrecedores que prometem uma perda de peso milagrosa e, ao mesmo tempo, saudável, foram testados por importantes órgãos de pesquisa e tem eficácia comprovada por milhares de pessoas ao redor do mundo.
Se você ainda assim não está convencido de que usar o Forskolin será bom para você, pense no efeito de agente que quebra a gordura corporal.
Tomar um emagrecedor que não apresenta contraindicações por ser proveniente de uma planta, e totalmente natural, pode ser a resposta que faltava para o seu processo de emagrecimento.
Emagrecer de uma forma natural, sem que ocorra nenhum tipo de agressão ao organismo, ainda perdendo barriga e sem efeito colateral é mais que ideal. Não perca mais tempo e comece agora o uso do Forskolin e sinta as mudanças que você tanto sonhou em pouco tempo, seu corpo e sua saúde irão agradecer.



Fontes: http://sobresaude.info/a-pilula-refeicao-imaginaria-diz-ao-corpo-ter-comido-073/
             http://emagrecereviver.com.br/forskolin-verdade-emagrecedor/



 

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

10 situações que acontecerão quando o sol começar a morrer !

O sol é uma estrela e, como todas as outras estrelas, vai morrer um dia.
Nosso astro-rei tem uma vida útil de cerca de dez bilhões de anos, e já estamos chegando na metade deste tempo.

10. O efeito estufa se tornará extremamente efetivo

Uma das primeiras coisas que acontecerá quando o hidrogênio do sol acabar é que ele se iluminará muito. Quanto mais brilhante ficar, mais energia a Terra receberá.
Hoje, os gases em nossa atmosfera – como o dióxido de carbono, o metano e o óxido nitroso – funcionam como um filtro para o brilho da nossa estrela. Mas, neste ponto, já não serão capazes de deter tamanha energia. A Terra ficará extremamente quente, fazendo com que a água em todo o mundo se evapore e crie uma nuvem densa na atmosfera.
Esta nuvem protegerá a superfície da Terra da radiação do sol por um tempo. Depois, o calor será grande demais, e os oceanos começarão a ferver. Não será mais possível que a vida exista, uma vez que morreríamos por falta de água e calor excessivo.

9. O sol expandirá

Não só o sol se tornará muito mais brilhante, como também aumentará muito em tamanho. Uma vez que consuma todo o seu combustível, passará para a próxima fase em seu ciclo de vida: o de gigante vermelha.
Apesar de maior, a temperatura da fase gigante vermelha é menor, de 2.000 a 3.000 graus Celsius, em comparação com a temperatura normal da superfície do sol, de cerca de 5.000 a 9.000 graus Celsius.

8. E, em seguida, se encolherá

Ao longo do tempo, o sol continuará a mudar. Quando acabar seu hélio, não será capaz de fundir seu carbono, e se encolherá, tornando-se uma anã branca.
Esta fase é muito menor que o tamanho original do sol. As anãs brancas têm muito menos energia, e muito mais longevidade. Esses remanescentes de estrelas continuam brilhando por bilhões e bilhões de anos, até que, em algum ponto, se transformam em anãs negras. É impossível saber exatamente quanto tempo esse processo demora, uma vez que os astrônomos acreditam que o universo ainda não é velho o suficiente para que alguma anã negra tenha se formado.

7. A órbita da Terra mudará

Quando o sol morrer, tudo na Terra também morrerá, mas isso não significa que o planeta sumirá. Uma vez que o sol atingir sua fase gigante vermelha, se expandirá e diminuirá pelo menos três quartos da distância da Terra. Mas nosso planeta terá uma chance de escapar.
À medida que o sol se aproxima, a atração gravitacional que exerce na Terra e em outros planetas próximos vai enfraquecer. Esse enfraquecimento fará com que esses planetas se dirijam para órbitas mais seguras (exceto Mercúrio e Vênus, que serão consumidos). É claro que todas as formas de vida não existirão mais, tornando esta fuga de última hora bastante inútil.

6. A vida pode se formar em outros lugares

Embora a vida na Terra já terá desaparecido quando o sol se tornar uma gigante vermelha, pode reaparecer em outro lugar. Júpiter e Saturno são planetas grandes com muitas luas, que podem ser habitáveis.
Europa e Ganimedes, por exemplo, são duas luas que atualmente contêm gelo. Uma vez que o sol aumentar de tamanho, ficará próximo o suficiente delas para aquecer esse gelo e criar um ambiente adequado para formas de vida familiares.

5. A Via Láctea e a Andrômeda vão se fundir

Este evento celestial não será causado pela morte do sol, mas ocorrerá mais ou menos na mesma época.
O primeiro encontro das duas galáxias acontecerá durante a agonia da morte do sol. A Via Láctea e a Andrômeda já estão se movendo uma em direção à outra, a uma velocidade de 402.000 quilômetros por hora – a colisão é inevitável.
Parece assustador, mas o sistema solar provavelmente ficará bem. Se a vida de alguma forma encontrar uma maneira de persistir até este ponto, quem estiver por perto vai poder curtir um longo show de luz à medida que os gases e as estrelas das duas galáxias colidem.

4. O sistema solar externo finalmente sentirá calor

Como já mencionado, o sol se tornará muito maior. Isso fará com que os planetas mais próximos se transformem em terrenos baldios ardentes, enquanto os mais distantes e congelados nas bordas do sistema solar, como o planeta anão Plutão (hoje, sua temperatura varia de -233 a -223 graus Celsius) poderão finalmente esquentar um pouco.

3. A vida humana será impossível na Terra

Conforme já foi comentado, a vida pode até ocorrer em outro lugar, mas definitivamente não vai resistir aqui na Terra.
A superfície do planeta ficará muito quente e, mesmo que de alguma forma criemos uma nova tecnologia anticalor, é improvável que possamos cultivar qualquer coisa para comer, ou encontrar água para beber. Tudo o que é necessário para a sobrevivência deixará de existir.

2. Os asteroides também desaparecerão

É possível que os asteroides enfrentem alguns problemas quando o sol chegar em sua fase de anã branca. Neste ponto, Júpiter e outros planetas terão ajustado suas órbitas às mudanças radicais da estrela. Por causa da grande massa de Júpiter, sua atração gravitacional ainda será enorme, o que perturbará as órbitas dos asteroides, talvez fazendo com que sejam jogados para fora de nosso sistema solar. Eles também podem ser expulsos da região ou simplesmente triturados pelo sol.
Os cientistas são capazes de fazer tais previsões ao olhar para anãs brancas atuais. Eles notaram que as áreas em torno de anãs brancas contêm muita poeira. Isso indica que deve ter havido corpos de rocha as orbitando em algum ponto. Esses corpos devem ter sido esmagados em simples partículas para criar o que os astrônomos veem hoje.

1. Os humanos podem encontrar outra maneira de sobreviver, fugindo da Terra

A NASA já está trabalhando em uma missão para Marte. Muitas outras empresas também anunciaram tentativas de colonizar o planeta vermelho. Marte seria um pequeno feito em comparação com viajar para lugares muito mais distantes, o que seria necessário para escapar da morte do sol. Mas é como Neil Armstrong disse: “Esse é um pequeno passo para o homem, um salto gigante para a humanidade”.
Nós não conhecemos toda a extensão do universo, nem de nossas próprias capacidades. Mesmo que o fim do sol possa parecer o fim da vida como a conhecemos, podemos estar errados. Talvez nossas mentes possam nos levar mais longe no universo do que imaginamos.

Fonte: https://hypescience.com/10-coisas-que-acontecerao-quando-o-sol-morrer/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+feedburner%2Fxgpv+%28HypeScience%29

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...